NINHO

 

Sinopse

“Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho Novo.”
Segredo, Miguel Torga 1956

O Ninho teve como inspiração um dos poemas mais singelos do escritor português Miguel Torga, que em poucas linhas revela que um segredo bem guardado pode fortalecer uma amizade verdadeira.

SOBRE

O Ninho teve como inspiração um dos poemas mais singelos do escritor português Miguel Torga, que em poucas linhas revela que um segredo bem guardado pode fortalecer uma amizade verdadeira. É o projeto mais recente da Partículas Elementares e é também o mais arriscado, pois a companhia propõe-se a contar a história sem uma única palavra.
Poesia visual pura, O Ninho revela-se nos detalhes. Com um enredo minimalista, a narrativa faz-se de um acaso; a curiosidade de um menino, despertada por uma mera coincidência, desencadeia o início de uma teia de afetos. Em palco, Carlos Silva, autor e único intérprete da obra, surge numa encenação comedida, que ganha força com o trabalho plástico expressivo, emotivo e surpreendente de Leonor Bandeira. Com um cenário com poucos artifícios, uma única personagem principal, três elementos secundários e uma banda sonora que complementa toda a peça, O Ninho é um projeto notável, que deixa no público, crianças e adultos, uma vontade imensa de deixar à solta a imaginação.
O Ninho é um convite à valorização das coisas simples da vida, as que são fáceis de entender e as que devemos guardar como as mais importantes.

FICHA ARTÍSTICA

Ideia Original: Carlos Silva
Encenação: Leonor Bandeira
Interpretação e Manipulação: Carlos Silva
Dispositivo Cénico: João Sofio
Cenografia e Marionetas: Leonor Bandeira
Desenho de Luz: João Sofio
Fotografia: Inês Samina
Produção: Partículas Elementares

[Duração] 35 minutos
[Classificação Etária] M/6

Estreia 2018

Download dossier

SEGREDO

Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

Mas escusam de me atentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar…

Miguel Torga

A carregar…